quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Piku (2015)



"Crime ocorre, nada acontece, feijoada" poderia facilmente ser um nome alternativo para Piku. O que quer dizer que é um filme parado, no qual pouca coisa se passa e muito se conversa. Isso significa que o filme é ruim, então? Muito pelo contrário.

Piku é basicamente sobre um momento específico da vida da estressada Piku (Deepika Padukone), seu pai Bhaskor Banerji (Amitabh Bachchan) e familiares próximos. Dentre as pequenas reviravoltas do filme, o pai decide ir de Délhi até Kolkata de carro, e nisto entra o motorista Rana Choudhary, interpretado por Irrfan Khan, outro ser maravilhoso.

"Muito gás e constipação. Que tipo de mensagem é essa?"

Este é um filme que tratará de prisão de ventre de uma forma que você nunca viu antes. E tenho certeza de que o personagem de Amitabh irá lembrar a qualquer um pelo menos uma pessoa com tendência hipocondríaca em seu círculo de convivência. O roteiro é leve e divertido, com detalhes deveras inusitados. Demora-se a entender ao que se está assistindo exatamente, mas nem por isso nos vemos menos envolvidos.


De longe, deve ter sido um dos melhores papéis do Sênior Bachchan nos últimos anos. O sr. Bhaskor é um ser único. O fato de ser absolutamente irritante e insuportável e de mesmo assim você se apegar a ele só é mais uma prova do talento do ator que está por trás. Já Deepika fez com que eu conseguisse sentir nitidamente todo seu estresse por trás da lente: o quão sobrecarregada ela se sentia em sua vida e como foi se anuviando ao longo da jornada.


Irrfan, meu coração para você. Você é tão bom ator que até em mocinho consegue se transformar e me fazer torcer por um romance num filme que sequer trata disso. Vem cá, me dá um abraço.

Piku não é um filme convencional, não tem musiquinhas ou firulas e lida com a escatologia de uma maneira totalmente inesperada. No entanto, é conduzido com tanta maestria que se torna leve e divertido para ser visto a qualquer hora.

3 comentários:

  1. Deepika fez tão bem o papel da estressada que eu me senti na pele dela. Comecei assistir e tive que parar de tanto que o tema me pegou de jeito. Você reconhece e se reconhece nos personagens. Irrfan cada dia me conquista mais e mais. Que ator!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei ainda mais apaixonada por Amitabh
    Nana

    ResponderExcluir
  3. Amo o fato de a Deepika estar no topo e mesmo assim não se render a papéis fáceis e bobos, como a Bebo fez quando estava no auge (lá para 2010 ou 2011). Isso está fazendo com quem ela seja amada por público e crítica. É isso que vai fazer com que tenha uma carreira longa. De quebra, ainda ganhamos acesso a filmes e roteiros maravilhosos como o de Piku <3

    ResponderExcluir

O que achou desse post?